HOME


Marcelo Schneider, atleta gaúcho campeão internacional.

Guarda de Segurança do Tribunal de Justiça, sócio do Cejus com a matrícula nº 162, Marcelo Schneider está na galeria dos mais destacados atletas brasileiros especializados no levantamento de peso. Integrante da World Association of Benchers Dead Lifter participa de campetições nacionais e internacionais e reune expressivo número de trofeus de campeão.

No dia primeiro de dezembro, Marcelo Schneider foi recepcionado pela Presidente Maria Beatriz Rodrigues Machado e chegou trazendo alguns dos trofeus que conquistou no decorrer de 2015. As premiações centralizaram a admiração de todos que participaram da recepção, e as funcionárias do Cejus fizeram questão de posar para foto, ostentando os trofeus.



Marcelo Schneider, afetuosamente, agradeceu à Presidente Maria Beatriz pela oportunidade de divulgar sua atuação desportiva, destacando que tem no atletismo, em especial na prática do levantamento de peso, uma opção de cultura física, cuidado com a saúde e interativiade social.

Falando à Imprensa-Cejus, Marcelo pontuou que no ano de 2015 participou de nove campeonatos, sendo dois gaúchos, dois brasileiros, um sulamericano, um panamericano e três mundiais. Em todas essas competições, sagrou-se Campeão em sua categoria, que é de 45 a 53 anos, com máximo de 100 quilos. "Foi um ano acima da média e acima das expectativas", enfatizou Marcelo.

- Qual o segredo da boa performance?
Marcelo explica que deve ser observada a diferença entre os que adotam uma prática esportiva para manter um salutar tônus físico, e os que desejam participar de competições com performances atléticas especiais.

Marcelo assevera que "a preparação atlética tem que ser muito bem trabalhada, meticulosa, pautada pela parte científica e pela alimentação. É nesta conjugação de esforços que se alcança os bons resultados."

O atleta campeão acrescenta que há um período em que se aumenta o peso no levantamento; num outro momento, o trabalho é de repetição de exercício com o mesmo peso. "Sempre deve haver a atenção para a regeneração e recuperação muscular, que tende a se fatigar no processo competitivo."

Marcelo Schneider, com otimismo e entusiasmo, afirma que "neste ano de 2015 participei de um maior número de competições, e digo que me exigi bastante. Viajei no país e no exterior e senti fortemente o problema da desvalorização cambial de nossa moeda. Entre essas competições, destaco a do mês de setembro, nos Estados Unidos, realizada na cidade de Atena, na maior universidade da Geórgia, quando enfrentei extraordinários atletas do Leste Europeu. Nesta oportunidade compartilhei importantes informações e conhecimentos sobre treinamento, alimentação, intensidade e potência. Por tudo isso, tenho um especial agradecimento aos colegas, às pessoas do Judiciário que foram pacientes, gentis e generosos no apoio aos meus esforços de afirmar a importância do desporto e de bem representar a minha Instituição, o meu Estado e o meu País, no Brasil e no exterior."