HOME

Plano foi apresentado a servidores e magistrados, com presença de dirigentes do TJ e de instituições
Apresentação do Plano de
Logística Sustentável do TJRS

Após aprovar o seu Plano de Logística Sustentável (PLS), o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul começa a implantar as diretrizes estabelecidas pelo documento, voltado para as práticas sustentáveis no âmbito do Poder Judiciário. Hoje (30/9), O plano foi apresentado a servidores e magistrados no auditório do Palácio da Justiça, Centro Histórico de Porto Alegre, no dia 30/09/2015. O Centro dos Servidores do Tribunal de Justiça - Cejus foi representado no evento pela Presidente Maria Beatriz Rodrigues Machado e sua Presidente do Conselho Fiscal, Jusselaine Gomes Porto. Mais do que redução de despesas e fonte de receita orçamentária própria, as medidas propostas pelo Plano visam à eficiência da aplicação de recursos e o uso consciente de materiais.

O Presidente do Tribunal de Justiça do RS, Desembargador José Aquino Flôres de Camargo, destacou que o Poder Judiciário gaúcho tem sido reconhecido nacionalmente pela sua organização, fluxo de processos e manancial humano capacitado. "Falar do PLS é, do ponto de vista interno, falar em redução de custos, reaproveitamento de insumos. É entrar na era digital, trocando o papel pelo meio eletrônico. Do ponto de vista externo, visa ao cuidado com o meio ambiente, com a natureza", afirmou o magistrado.


Juízas Cintia Mua e Patrícia Laydner, coordenadoras
do ECOJUS, apresentaram diretrizes do trabalho

Uma das Juízas Coordenadoras do Sistema de Gestão Ambiental do Tribunal, Cíntia Teresinha Burhalde Mua ressaltou que a implantação do Plano de Logística Sustentável do Poder Judiciário gaúcho representa a quebra de paradigmas. "Ele tem a vocação de nos unir num organismo único, como realmente somos", afirmou a magistrada.

Participaram da cerimônia o 2° Vice-Presidente do TJRS, Desembargador Manuel José Martinez Lucas; o Corregedor-Geral da Justiça, Desembargador Tasso Caubi Soares Delabary; a Juíza Coordenadora do Sistema de Gestão Ambiental do TJRS Patrícia Antunes Laydner; o Coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, Daniel Martini; o Defensor Público-Geral em exercício Marcelo Dadalt; e o representante do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo Luigi Ricardo Loprete.

Ferramentas gerenciais
O PLS traz uma ferramenta gerencial inédita e específica para a área, o Gerenciamento Matricial Ambiental, que propicia a análise qualitativa do consumo entre unidades de porte semelhante. Os indicadores do GMA não serão mensurados em moeda corrente nacional (R$), mas em unidades relativas ao consumo (kw/h - energia, m³ - água, resmas - papel, cartucho ¿ toner). Em relação ao consumo de combustível e transporte de veículos, por se tratar de um consumo setorizado específico, que envolve poucos departamentos, a sistemática de controle adotada foi outra. Ao sistema de controle de combustível que já vinha sendo utilizado - ECOFROTAS - propõe-se a agregação do uso do sistema Thema, permitindo o cruzamento de dados referentes a abastecimento, manutenção.

O GMA propõe a aferição do padrão de consumo entre comarcas similares, em termos estruturais, quantitativo aproximado de força de trabalho e fluxo de pessoas que acorrem às instalações forenses. O aplicativo também demonstra os consumos equivalentes discriminados em água, energia, material de expediente e toner, bem como material de higiene ( toalha e higiênico), para visualização comparativa.

Indicadores
Os indicadores básicos constituem ferramenta de avaliação do desempenho ambiental, prevista na Resolução nº 201 do Conselho Nacional de Justiça. Alguns destes indicadores foram adaptados à realidade do Poder Judiciário gaúcho, assim como foram criados outros considerados necessários ao efetivo controle das medidas de sustentabilidade propostas.

Exemplo: Papel = quantidade de resmas; Toner = cartucho; Energia elétrica = kwh consumido; Água = quantidade em m³

Metas
Diminuir em 5% o consumo de papel
Ações: Incremento do processo eletrônico, campanhas institucionais, adoção da ecofont, Premiação Selo Verde.
Diminuir em 5% o uso de toner e material de impressão
Ações: incremento do processo eletrônico, malote digital, campanhas institucionais.
Diminuir em 3% o consumo de material de escritório
Ações: Reaproveitamento de material, campanhas, aumento do rigor do atendimento dos pedidos.
Diminuir em 4% o consumo de energia elétrica
Ações: Campanhas de conscientização, substituição das lâmpadas para LED, divulgação das boas práticas.
Reduzir em 4% o consumo de água
Ações: Campanhas de conscientização, otimização dos recursos hídricos das caixas d'água, reaproveitamento de águas, prevenção de vazamentos, medidor individual para as obras
Reduzir em 3% o m² gasto com reformas das unidades
Ações: Gerenciamento dos resíduos da construção civil, investimento em manutenção preventiva, medidores de água individualizados

Fonte
imprensa@tj.rs.gov.br
Texto: Janine Souza
Fotos: Eduardo Nichele