HOME


Tribunal de Contas do Estado
completa 80 anos.

A Presidente do Cejus, Maria Beatriz Rodrigues Machado, com sua Presidente do Conselho Fiscal, Jusselaine Gomes Porto, nesta sexta-feira (26/06/15) às 15h, participou da Sessão Solene comemorativa dos 80 anos do Tribunal de Contas do Estado. A solenidade, que lotou o Auditório Romildo Bolzan, contou com a presença dos titulares dos três Poderes, governador do Estado José Ivo Sartori, presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edson Brum e presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Aquino Flores Camargo, além de diversas outras autoridades estaduais e nacionais.

O procurador-geral do Ministério Público de Contas (MPC), Geraldo Costa da Camino, abriu a sessão falando sobre o momento histórico vivido pelo Tribunal de Contas. “A Corte está em seu auge não apenas em termos de eficiência, desempenhando as suas atividades, mas também no que se refere à legitimação perante a sociedade, que é a quem devemos contas, em última instância. A imagem que havia no passado era a de Tribunal meramente punitivo. Hoje, sem descuidar da responsabilidade de sancionar, a atuação da Casa tem estabelecido um foco na orientação, nas iniciativas de caráter pedagógico que previnem irregularidades e evitam o dano”, ressaltou. Em seu pronunciamento, o presidente do TCE-RS, Cezar Miola, lembrou que o Tribunal é aquele que a experiência democrática moderna tornou possível. “Examinar a trajetória destes 80 anos do Tribunal de Contas é, por isso mesmo, falar de um processo virtuoso de mudança constante que está conduzindo as Cortes de Contas, notadamente desde a Constituição Federal de 1988, a sua vocação plebeia e republicana. Somos uma Instituição comprometida com o bem público, com o combate à corrupção e ao desperdício e que zela pelos direitos fundamentais da cidadania, mormente dos segmentos mais dependentes de políticas públicas exitosas, os pobres brasileiros, as crianças, os idosos, os doentes, os humilhados e os esquecidos”, asseverou.

Para o conselheiro, o aniversário de oito décadas do TCE-RS é um momento especial de congraçamento cujo sentido deve estimular a reflexão. “Ao invés da festividade, o pensamento. Chegamos até aqui pela capacidade dos que nos antecederam, pela coragem dos que inovaram, pela determinação de quem decidiu fazer o que antes pareceu impossível. A todos eles, aos que vieram antes, nosso reconhecimento e admiração. Somos o que somos, porque atuamos coletivamente. Porque, mesmo sendo poucos, estamos imbuídos da mesma paixão”, ponderou.