HOME

Foto: Eduardo Nichele
Rinez da Trindade toma posse como Desembargador


Realizou-se na tarde de sexta-feira (26/6/15) a solenidade de posse no cargo de Desembargador do magistrado Rinez da Trindade. O ato ocorreu no Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça. Magistrado de carreira há 25 anos, tem atuação marcante também em vários projetos institucionais do Judiciário, destacando-se a aprovação da Lei dos depósitos judiciais.

O Presidente do TJ, Desembargador José Aquino Flôres de Camargo, destacou a trajetória do empossando. O Desembargador Rinez é a síntese das virtudes de um magistrado que honra a toga, afirmou. Acrescentou que a experiência acumulada será importante para o enriquecimento do Poder Judiciário.

O Desembargador Rinez da Trindade agradeceu o apoio de colegas e dos servidores e se disse orgulhoso de pertencer ao Judiciário. Lembrou das dificuldades no decorrer da carreira, mas enfatizou ser uma função gratificante pela repercussão social do trabalho desenvolvido.

Participaram da solenidade o 2º Vice-Presidente do TJ, Desembargador Manuel José Martinez Lucas; a Desembargadora Marilene Bonzanini, o Presidente do Conselho de Administração, Planejamento e Gestão (CONAD); os Juízes-Assessores da Presidência do Tribunal de Justiça Leandro Figueira Martins e Luis Antonio Behrendsdorf Gomes da Silva; o Procurador-Geral do Estado, Euzébio Ruschel; o Vice-Presidente nacional da OAB, Cláudio Lamachia; o Presidente da OAB/RS, Marcelo Bertoluci; os Deputados Luiz Fernando Marinardi e Ronaldo Santini, além de diversos magistrados, advogados e servidores.

Trajetória
Rinez da Trindade foi advogado e vereador em Venâncio Aires, antes do ingresso na magistratura gaúcha. No ano de 1990, assumiu como Juiz de Direito jurisdicionando nas Comarcas de Restinga Seca, Agudo e Bento Gonçalves. Professor de Direito, tem mestrado em Ciências Políticas pela Universidade Federal de Santa Maria. Recebeu os títulos de Cidadão de Restinga Seca, Bento Gonçalves e Porto Alegre. Na capital, atuou na Vara de Execuções Criminais e foi diretor do Foro de Porto Alegre por três anos. Na assessoria da Presidência do TJRS, atuou em vários projetos institucionais e de interesse do Poder Judiciário, com destaque na aprovação da Lei dos depósitos judiciais.