HOME

Exame deve ser feito preferencialmente entre o 3º e o 5º dia de vida do bebê.
(Foto: PMPA/Divulgação)


Junho Lilás assinala a importância do Teste do Pezinho para saúde do bebê

O Programa Nacional de Triagem Neonatal, responsável pelo Teste do Pezinho, completa, nesta terça-feira (6), 16 anos. Pela sua abrangência, essa é considerada uma das maiores ações de Saúde Pública do mundo. Somente no Rio Grande do Sul, em 2016, foram mais de 130 mil exames feitos, o que corresponde que 95% das crianças nascidas fizeram a avaliação, a maioria delas gratuitamente pelo SUS. O teste permite o diagnóstico e consequente tratamento precoce, diminuindo ou eliminando as sequelas, de seis diferentes doenças.

Com algumas gotas de sangue coletadas do calcanhar do bebê é possível identificar a fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase. A maioria dessas doenças não apresentam sintomas nos recém-nascidos. O risco em não se diagnosticar precocemente é gerar sequelas graves, e até irreversíveis em alguns casos, no desenvolvimento da criança, que só serão perceptíveis tardiamente. Para maior eficácia, a Secretaria da Saúde alerta que o exame deve ser feito entre o 3º e o 5º dia de vida do bebê.

Triagem Neonatal no SUS
No RS, desde 2001 o HMIPV (Hospital Materno Infantil Presidente Vargas) em Porto Alegre é responsável pelas ações de Triagem Neonatal no SUS. Lá, são feitas mais de 60 mil análises laboratoriais mensais, que são enviadas a partir de aproximadamente 1,3 mil postos de coleta, distribuídos nos 497 municípios gaúchos. Atualmente, 1.250 pacientes de diferentes faixas etárias e de todas as regiões do estado são atendidos por uma equipe composta por médicos pediatras, endocrinologistas, geneticistas, hematologistas e pneumologistas, profissionais das áreas de nutrição, psicologia e assistentes sociais.

Atividades do mês
Para comemorar o Junho Lilás estão programadas ações no HMIPV: confraternização de pacientes, familiares e equipe, além de atividades de capacitação e educação em saúde. Um dos eventos marcados é o 1º Seminário Estadual sobre Triagem Neonatal, com foco nas UTI neonatais do estado, que ocorre no próximo dia 13 no próprio Hospital.

Cobertura do Teste do Pezinho em 2016 no RS
Nascidos vivos: 141.181
Testes aplicados: 133.259 (cobertura de 94,5%)
Testes aplicados pelo SUS: 107.178 (76% do total)

Como é feito o exame?
O exame consiste na retirada de gotas de sangue do calcanhar do bebê. Por ser uma parte do corpo rica em vasos sanguíneos, o material pode ser colhido em uma única punção, rápida e quase indolor. O teste faz o diagnóstico de fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase.

Quando fazer o teste?
O teste do pezinho deve ser feito entre o 3º e o 5º dias de vida do recém-nascido, pois esta é a maneira de descobrir estas doenças a tempo de tratá-las, impedindo o aparecimento das complicações.

Onde fazer?
O Teste do Pezinho é feito gratuitamente em mais de 1,3 mil Unidades de Saúde, em todos os municípios do Estado.

Doenças